quinta-feira, 9 de junho de 2011

Aposentadoria e Copa do Brasil

Olá seguidores. Acho que devo um pedido de desculpas pra vocês, afinal, meses sem postar NADA aqui. Que vergonha! Mas prometo, nas minhas possibilidades, escrever com mais regularidade para o Fala Ligeira, ok?

Aposentadoria – Sim, um assunto que repercutiu nesta semana, com a partida de despedida do Ronaldo com a camisa da Seleção Brasileira de Futebol. A Selenike venceu a “fortíssima” Romênia por 1 a 0, gol de Fred. E o Ronaldo? Jogou 15 minutos, em ritmo de ex-jogador, e sim, conseguiu perder três oportunidades claras de gol. Brincadeiras e opiniões contrárias a parte, é mais um craque que deixa a Amarelinha, depois de tantos outros.


Em 1971, Pelé teve a honra de ter DOIS (isso mesmo leitor) jogos de despedida. Um ano depois da conquista do tricampeonato mundial, com a Seleção, Edson Arantes do Nascimento despediu-se da camisa 10 em duas partidas. A primeira diante da Áustria, no Morumbi, e com gol do Rei do Futebol. Placar final de 1 a 1 em São Paulo.


Depois da torcida paulistana, foi a vez da carioca dar adeus a Pelé. Diante de quase 140 mil presentes, no Maracanã, o Brasil empatou novamente, desta vez contra a Iugoslávia por 2 a 2. Pelé não marcou, mas encantou o Rio de Janeiro com passes precisos e inteligência no posicionamento.


Dois anos depois, em 1973, foi a vez do Mané Garrincha se despedir da Seleção Brasileira. Em um amistoso contra jogadores estrangeiros que atuavam no Brasil, Mané vestiu a camisa 7 pela última vez. Ao contrário de Pelé (Que inclusive participou do jogo, marcando um dos gols), Garrincha venceu na sua última vez com a Amarelinha. Placar de 2 a 1, inclusive mostrando lucidez nos lances, mesmo com 40 anos de idade.


Mais recentemente, em 2005, Romário também jogou uma partida de adeus pela Seleção. Além de vencer (3 a 0 na Guatemala), o Baixinho ainda marcou um dos gols, aproveitando o oportunismo nos posicionamentos, algo que marcou sua carreira.


Craques partem e outros chegam. O que importa é a alegria que os jogadores deram para os brasileiros com essa camisa tão pesada, tão bonita, tão vitoriosa. Parabéns a todos que passaram por ela, e sorte para os que virão!


A volta da segundona - Agora, que tal falarmos um pouco sobre a finalíssima da Copa do Brasil, disputada na noite da última quarta-feira (09/06)? Coritiba e Vasco fizeram uma partida digna de decisão. Após a vitória da equipe carioca no primeiro jogo (1 a 0), o Coxa precisava vencer de qualquer maneira.


Ambas as equipes mostraram um futebol eficiente, ofensivo e pronto para a decisão. Fazia tempo que eu não assistia uma decisão cujo ambos merecessem de VERDADE o título. Coritiba e Vasco, após esse jogo, colocaram uma pedra por cima da Série B de uma vez por todas!


Parabéns Coritiba, parabéns Vasco! Antonio e Celso devem estar comemorando até agora! Hehe!


Por enquanto é só, pessoal!

See ya!
Felipe

2 comentários:

mariza disse...

parabéns pelo artigo, filhote. cada vez mais seu talento desponta. e eu me orgulho em ser mãe de um futuro jornalista tão talentoso.
beijos da mamis.

9 de junho de 2011 20:41
Arte Vital disse...

Ô meu guri!

Comemorando sim, muito! Vou publicar o Manifesto do Bastardo Vascaíno no meu blog.
Vc é um cometarista lúcido e preciso. É um jorlista esportivo, nato. /que alegria poder partilhar isso, que privilégio ler você.

Obrigado pela citação. O Celso saiu daqui bêbado e rouco. Tive que enfrentar ordas de flamenguistas bárbaros no portão, mas meu Anjo da Guarda estava de serviço.

Que bom que o blog tá ativo, como sempre deveria ser...Idéias ativas! Talento e blá bla´bla´...hehehe...Um jornalista tem que escrever e muito! :-))

Abração

9 de junho de 2011 20:59

Postar um comentário